Minha Filha Diabética

Uma vida mais doce após o diabetes tipo 1!

Vivi

Nasceu em 19/08/2003 em São Paulo.

Foi diagnosticada DM1 em Outubro de 2008, com 5 anos e 2 meses em Iturama/MG onde morávamos. O diagnóstico se deu um mês após a separação de seus pais e a saída do pai de casa.

No começo achamos que era stress, que estava sentindo falta do pai, mas com o tempo e o agravamento dos sintomas não houve mais dúvidas. Confirmamos o diagnóstico com um simples exame de glicemia de jejum que EU pedi para o médico fazer o pedido.

Ela começou ficando muito irritada, nervosa, brigava muito com sua irmã Maria Eduarda, que na época estava com 3 anos e 10 meses. Eram brigas e birras tenebrosas de se jogar no chão por qualquer motivo. Seu apetite aumentou absurdamente, vivia com fome e por mais que comesse não se sentia satisfeita.  Suas pernas doíam. Não queria ir pra escola.

Começou a perder peso. Só pude perceber a diferença num dia enquanto dava banho nela. Ao passar a mão em seu corpo, só sentia os ossos, ao reparar melhor, ela parecia aquelas modelos anoréxicas que se pode ver osso por osso do corpo.

Nessa mesma semana, as idas ao banheiro aumentaram. A cidade é muito quente no triângulo mineiro, então não consegui perceber o aumento do consumo de água porque esse sempre foi exagerado… e por todos da família. Numa madrugada ela pediu para ir ao banheiro 2x, precisava que acendesse a luz e a acompanhasse…. depois de 3 dias ela ia ao banheiro de madrugada quase 4 ou 5 vezes, no escuro e sem me acordar.

Ao acordar num domingo, encontrei formiga na privada…

Eu já conhecia os sintomas do diabetes por ter lido a respeito… então no dia seguinte a levei ao médico e fizemos o exame.

No dia seguinte minha mãe já estava na minha cidade pra nos buscar. Não fui pra São Paulo de ônibus porque nosso pediatra nos alertou dos possíveis problemas de desidratação, cetoacidose que eu não conhecia…

Começou a jornada com o Diabetes… ao chegar em SP, meu pai (que é médico, ortopedista) já tinha marcado a consulta com a endocrino indicada pelo pediatra (que é meu padrinho), já tinha comprado um glicosímetro, assim como 2 frascos de insulina, NPH e Humalog e seringas… tudo arranjado por conversas ao telefone enquanto eu estava numa viagem de 8 horas pra São Paulo. Engraçado é que eu simplesmente não me lembro de NADA dessa viagem. NADA. Na verdade, só me lembro disso dessa semana em SP, de exames, consultas, até voltar pra Minas. Curioso…

Hoje, novembro de 2009, mês que criei esse blog, faz um ano que lidamos com a doença e é sobre isso que esse blog irá tratar. Diabetes, cuidados, curiosidades, o dia-a-dia de uma criança diabética, a quantidade de exames, de picadas, de sustos e de alegrias !!

53 pensamentos sobre “Vivi

  1. Querida Nicole. Li a história sobre como vc descobriu a diabetes na sua filha e isso me lembrou como eu fiquei sabendo. Eu tinha acabado de ganhar uma viagem para os EUA de 15 anos. Estava super empolgada, ansiosa e feliz. Mas comecei a ir com frequência ao banheiro e a emagrecer. Logo descobriram o que era. COm as passagens na mão, não dava para aprender tudo sobre como controlar a doença a tempo de viajar. Então…fiquei pra trás. Só Deus sabe o quanto foi traumático.
    Mas tudo passou. Viajei para os EUA anos mais tarde. Pretendo passear com meus dois filhos um dia, quem sabe. Sua filha terá uma vida linda com a mãe maravilhosa que ganhou. Quando precisar de algo, me procure, tá? Beijos

    • Olá .. boa tarde…gostei muito de ler seu blog…tenho filhas gêmeas de 9 anos … a Luanna e a Giovanna, a Gio tem diabetes há 8 anos …depois desenvolveu doença celiaca,muito comum em diabeticos e intolêrância a lactose também…então vc pode imaginar a dietinha dela…rsrss..não é fácil…vc sabe disso, né?mas acredito que com fê em Deus e apoio dos amigos e familiares podemos ter uma vida normal.bju

  2. Nicole boa tarde!
    Li com toda a tenção sua pagina e definitavente vc é uma pessoa de coragem, achei interessante tudo o q vc escreveu e tenho certeza q será de muita ajuda para as pessoas q tenham diabéticos em casa.
    Crie uma comunidade no orkut tmb, e divulgue o site pois isto é muito bom para todos os q lerem.
    Bjos enormes pra vc e suas lindas Duda e Vivi.

  3. Oi Nicole,
    adorei teu site. Tenho duas filhas, gêmeas… só que uma delas, a Manuella, apresentou diabetes em setembro do ano passado.
    Fiquei louca… até hoje ´pe muito difícil pra nós, mas tenho certeza que iremos superar e que a cura virá em breve..
    parabéns pela iniciativa de informar muitas coisas que até então pra mim, são traumáticas…
    beijos
    Viviane

    • Que bom que gostou!! Volte sempre que quiser…. e faça comentários, tenho certeza que muito do que passou e passa ainda, pode ajudar muito outras pessoas e até a mim!!!
      Quantos anos ela tem? Há quanto tempo tem diabetes? de onde você é???
      Um beijo !

      • Bom dia, Nicole! A paz!
        Tenho uma filha de 12 anos, e que desde 7 anos convive com o DM1. O diagnóstico foi feito após uma infecção (sinusite), onde ela perdeu peso tomando antibióticos, e eu esperava que após a infecção melhorar ela voltaria a engordar. Mas isso não aconteceu, continuou emagrecendo, desanimada, triste, o pescoço afinou, os dentes ficaram evidentes, os olhos saltados, e me disse que tomava 6 garrafinhas de água durante a aula e fazia xixi 2 vezes no intervalo (recreio da escola) com duração de 15 minutos. Então a levei ao pediatra, expliquei tudo e eu mesma sugeri que seria DM1. O médico concordou com minha suspeita e pediu o exame de sangue que deu em jejum 265. Sempre cuidei muito de mihas filhas(tenho 3) e a Thaís é a caçula. Na época do diagnóstico fiquei desesperada, perguntava o porque de não ser em mim. Com alguns meses aceitei a DM1 da minha filha e desde então lutamos juntas. Todos em casa ajudam. Ela toma de 3 a 4 doses de insulina por dia (mistura de NPH e Humalog e algumas vezes ao dia usa a caneta Novorapid). Ela pratica esportes: volei, tênis e faz ballet 4 vezes por semana. O esporte é fundamental pra manter a glicose lá embaixo. Brincamos todas as vezes que ela mede a glicose: 1 a 0 pra insulina, 8 a 0 pra insulina. E quando a glicose tá alta: 8 a 3 pra insulina, hahaha continuamos na frente. E agora que ela tá ficando mocinha a dose de insulina teve que ser quase que triplicada, é a explosão de hormônios. Foi difícil ajeitar e aceitar o aumento da dose, mas tá dando certo. Vamos vivendo um dia de cada vez, vencendo a cada dia e esperando a cura. Deus abençoe!

  4. Oie Nicole,tudo bem?Sou a mãe do Luan,nos conhecemos no último encontro de jovens diabéticos na ADJ.Adorei conhecer vocês e adorei seu blog.É muito legal poder trocar informações e experiências,né…
    Lendo como descobriram a diabetes da Vivi,parecia que um filme se passava na minha cabeça…Porém com o Luan foi um poquinho diferente.
    Sempre fui uma mãe muito cuidadosa,mas de repente meu filho estava com pneumonia,e pior com água no pulmão.Achava que pneumonia era coisa de mãe que não cuidava direito do filho…Vi que não era bem assim.Ele ficou internado 11 dias.Pra mim isso já era terrível,mas mal sabia o que vinha pela frente.Isso foi no dia 15 de maio de 2008.Ele teve alta no dia 26.Durante a internação dele,percebi que estava tomando muita água e fazendo muito xixi.Mas achei que poderia ser devido ao soro que ele tomava todos os dias.Ele estava comendo muito também,porém não engordava…
    Bem,no dia 26 ele teve alta,ficamos aliviados e felizes.Chegando em casa ele ainda estava meio fraquinho,mas achei que fosse normal, afinal passou muitos dias deitado.No outro dia ele teve febre.Levei novamente ao hospital.A médica achou melhor deixar ele em observação e trocar seus antibióticos.Passou outra noite no hospital.
    Pela manhã ele teve alta e fomos pra casa.Na madrugada ele acordou chorando e dizendo que a barriga doía muito.Ele estava muito magro,e sua boca estava seca.Gemia muito…
    Chegando ao hospital,me desesperei quando a médica disse que ele não estava bem.Aí foi aquela bateria de exames,até que a médica veio com a resposta:é diabetes.Estava com glicemia de 455,e com primodescompensação,além de desidratado e com hipotermia.Passou 3 dias na UTI,e depois mais uma semana no quarto.Aí foi aquele desespero na família.No começo assusta mesmo,mas depois a gente vai aprendendo a lidar com tudo isso.
    Bom Nicole,espero encontrar vocês no próximo dia 08.Até mais…Beijos

  5. Nicole,
    Meu nome é Tânia. Minha filha, de 04 anos, teve diagnóstico de DM 1 no dia 14/05/10. Foi um enorme susto. Ela estava perdendo peso, bebendo muita água e voltou a fazer xixi na cama (tinha parado com 1,5 ano). Como havia me separada há pouco tempo, e não conhecia os sintomas, pensei que pudesse ser emocional. Entretanto, dias antes do diagnóstico, ela estava muito desanimada, então, no dia 14, pedi ao pai que a levasse para fazer exame de anemia. Quando foram relatados os sintomas para a pediatra imediatamente ela mediu a glicemia e encontrou taxa de 810. Sarah foi encaminhada para o hospital, onde ficou seis dias, sendo 04 deles na UTI. Graças a Deus não teve qualquer dano. Estamos em casa, nos adaptando à nova vida (eu, ela e a irmã de 13 anos). Minha pequena encara tudo numa boa. Sabe que existe insulina rápida e lenta, sabe trocar agulha no glicosímetro e realizar o teste (tenho apenas que fazer a leitura, pois ela ainda não está alfabetizada). Não dá o menor trabalho para aplicar a insulina (01 dose diária) e mesmo com a alimentação tem sido bastante cordata. Mas tenho tido sustos um atrás do outro. Depois de vários dias com hiper (durante a internação), agora ela tem hipo. Assintomática. Hoje, por exemplo, estava com índice de 177 às 19h e às 21h medi e encontrei 45. Pode imaginar meu susto? O médido disse que está tudo dentro do previsto. Acrescentou que ela está entrando na fase da “lua de mel” (pâncreas ainda produzindo insulina). Já reduzimos a dose e amanhã vamos reduzir de novo. Hoje, como foi aplicada a dose pela manhã, passarei a noite monitorando a cada suas horas. Fico pensando que se ela tiver uma crise mais grave de hipo, com perda de consciência, vou desmaiar junto. Sei que as coisas se acomodarão, mas neste momento estou uma pilha (com cuidado para ela não perceber). Fico em estado de alerta todo o tempo. Precisava falar com alguém que entendesse o que estou sentindo… Grande abraço.

    • Tania… por aqui todas nós te entendemos. E MUITO…..
      Mantenha contato, mande email, comente…. tente aliviar suas tensões por aqui.
      Conte comigo e com essas mães todas que passam sempre no blog também.
      De onde você é? Que insulina a Sarah está tomando?
      um beijo
      e quanto a hipo, primeiro vc vai cuidar, depois vc desmaia !!!!!

    • Meu nome é Kamila,
      tenho uma filha de 2 anos 7 meses, no último dia 11 levei a pediatra, pois ela estava urinando muito, não comia, perdeu muito peso e dormia o dia inteiro.Pensamos que fosse uma virose, pois, eu também estava assim, com dor no corpo, febre de 39º,vomitava, enfim,pensei que tinha passado para ela!
      qnd chegamos ao consultório, a pediatra logo falou:essa criança está desidratada! vamos internar hoje mesmo ás 19 horas, comecei a chorar!!!
      qnd ela chegou no hospital, não tinha veia para colocar o soro, estava seca,teve que colocar no oxigênio e sua boca estava ressecada e seus dentes não tinha o esmalte, estava seco!
      aquilo me matou, meu Deus o que eu errei! me perguntava a td momento!!!
      a pediatra pediu para fazer o teste de glicemia, não conseguia ver, então fizeram o exame de sangue!!!
      enquanto eu esperava o resultado, meu marido pesquisou em casa e me ligou dizendo que poderia ser diabete!!!
      meu mundo caiu!!! quer dizer está caído até hoje, tem vinte dias que estamos nos adaptando!!
      no outro dia, ela foi levada a UTI,saiu dois dias depois e permanecemos no hospital por 1 semana.
      não está sendo fácil!! eu choro tds os dias, estou pedindo forças a DEUS para não cair em depressão, pois minha filha precisa de mim!
      mas o pior foi a hipo que ela teve a uma semana atrás! ela estava dormindo, e de repente começou a tremer,fomos medir a glicemia e deu 33, então enquanto eu pegava açucar, ela começou com reações estranhas, gritava e ao mesmo tempo chorava, começou a se comportar como uma criança especial( tipo mongolismo), e daí eu lembrei que o médico me falou que se ficar muito tempo sem atendimento a criança fica assim, afeta o cérebro!!! imaginem como eu fiquei, eu gritava, clamava,foi horrível!
      liguei para o médico e fomos para o hospital.

      a glicose ainda está muito alterada, oscila demais! uma hora tá alta, outra tá baixa demais!!! tem hora que parece que não vou suportar, pois tenho 22 anos, parece que o fardo é pesado demais!!!!

      peço a vc que me ajude com experiências, sei que Deus ns dá aquilo que suportamos, mas somos humanos e como humana choro tds os dia, ainda tô muito sensível com essa nova vida!!!
      desde já agradeço!!!

      • Ela teve apenas uma hipoglicemia e eu sei o quanto isso é angustiante e aterrorizante…

        Mas com o tempo vc vai entender melhor o organismo dela e vai conseguir controlar…

        Te adicionei no facebook e vamos conversando

        beijo

  6. Oi Nicole, li o seu depoimento sobre a Vivi!! Tenho uma filha que se chama Mariana agora ela esta com 2 anos e descobri que ela estava com DM1 quando ela tinha acabado de fazer 1 aninho, não posso dizer que aceito tudo, ainda sofro, apesar disso ela é uma criança maravilhosa nunca deu trabalho para fazer a insulina nem a glicemia, mas ainda é difícil explicar pra ela que não pode comer tal coisa. Sempre quis conhecer mães nessa mesma situação que a minha, acho que encontrei! Li que vcs fazem terapia, acha que melhorou? Não tenho coragem de ter outro filho pois não quero fazer nada para que ela seja diferente. E pelo que vejo tem horas que o irmão não entende e não precisa passar pela mesma situação. Não tenho coragem nem de mandar ela pra escola! As pessoas acham que ela esta dando birra mas não é as vezes ela esta passando mal. E so eu ou o pai que conseguimos distinguir.

    Parabéns por todas essas informações e pelo carinho com que fez esse Blog!

    beijo

    • Oi Fernanda, tudo bem?!

      Deve ser barra com criança de 1 ano, hein…

      A terapia no ajudou muito. Muito mesmo. Talvez nesse momento seja interessante apenas vc e seu marido, sabe.. e quando a Mariana crescer, acho que a partir do 5/6 anos, aí sim ela pode começar.

      Os grupos nos Associações também ajudam muito, servem como terapia e troca de experiências!! Eu participo também e gosto muito.

      Esses medos de ter outro filho, mandar pra escola, tudo isso vc consegue conversar e decidir, sem grandes dramas. Infelizmente, vc não vai poder manter sua filha numa bolha. Ela é do mundo, e quanto antes você conseguir aceitar isso, melhor pras duas!

      Boa sorte e depois me conta! De onde vc é?

      Beijo

  7. oi nicole, sou socorro, tenho diabetes ha 24 anos, parabens pela dedicaçao com a sua filha, deus deu diabetes mais colocou vc no caminhoa p/ cuidar.gostaria de saber mais sobre a bomba de insulina, e se ela mede tbem a glicemia ou so manda insulina. melhorou os niveis de glicemia.

  8. Oi Nicole
    Parabéns pela iniciativa. Estava no Goovle procurando sobre ação civil contra o Governo que diz dar Insulina de graça para os Diabéticos só pra fazer propaganda pra Dilma ” marolinha ” e ai te achei. Tenho uma filha de 6 anos que há 5 meses está com DM1. Ela é uma bênção, pois ela mede, ela mesmo aplica a insulina, é uma mocinha. Agora a médica quer mudar para a bomba e eu fiquei muito chocada, por ela ser muito vaidosa. Gostaria de ver onde vc pôs na tua menina. Bjs

    • Se ela é vaidosa vai adorar ter sempre uma bolsinha colorida…
      A bomba normalmente fica na cintura, presa por cinto ou elástico.

      VOu tirar mais fotos e coloco aqui pra vc ver!!

      COntinue escrevendo! De onde vc é??

  9. OI NICOLE PARABÉNS POR ESSA INICIATIVA FIQUEI ADMIRADA COM SEU CUIDADO E CORAGEM SUA FILHA INFORMADA E UMA GRAÇA.ME CHAMO LUCENI SOU DE IBITINGA SP DESCOBRI DIM TIPO 1 EM MEU FILHO DE 4 ANOS FAZ 35 DIAS FICAMOS DESESPERADOS AGORA TO MELHOR VENDO SUA FORÇA ENTÃO…
    DESCOBRI LOGO DEPOIS DE MEU FILHO TOMAR UM REMEDIO A BASE DE CORTISONA POR CAUSA DE UMA TOSSE ELE NÃO COMIA SO BEBIA LIQUIDO EMAGRECEU NO INICIO ACHEI QUE ERA POR CAUSA DA INFECÇÃO QUE TINHA ACABADO DE TER MAS NÃO ACHEI NORMAL TANTA CEDE E BANHEIRO ACHEI QUE ERA O REMEDIO QUE TINHA CAUSADO ALGUMA COISA DECIDI ENTÃO IR AO PEDIATRA E FIZEMOS EXAME E A TRISTE NOTICIA DIABETE ESTAVA 328 QUASE MORRI DESESPERO TOTAL FOMOS AO ENDOCRIO E APLICAÇÃO DE INSULINA FOI A RECEITA FOI MUITO TRISTE UMA DOR TERRIVEL.NÃO ACEITAVA ISSO NA NOSSAS VIDAS E P SER SINCERA NÃO ACEITO.PROCUREI UM ENDOCRIO EM RIBEIRAO PRETO PEDIATRICO ESPECIALISTA EM DIABETE INFANTIL ELE EH MARAVILHOSO ME DEIXOU MAIS TRANQUILA E COM ESPERANÇA DE CURA.ELE ESTA TOMANDO INSULINA UMA VEZ AO DIA + MEDICAMENTO VIA ORAL E AGORA APOS 1 MES FAZ 2 DIAS QUE ESTA CONTROLADA SABADO DEU 85 EM JEJUM E ONTEM 90 APOS ALMOÇO FIQUEI FELIZ E ATE LIBEREI UM CHOCOLATE DIET HJ NÃO MEDI AINDA..ELE ESTA DORMINDO ..
    ADOREI ACHAR VC GOSTARIA DE CONVERSAR MAIS CONHECER MAIS VC E SUA FILHA JA QUE TEMOS ALGO EM COMUM INFELIZMENTE A DIABETE EM NOSSAS VIDAS.BEIJOS FIQUE COM DEUS. VC EH MUITO ESPECIAL
    LUCENI FERREIRA IBITINGA FONE 16 3341-8197 E 33422860
    MSN JF_CAPASPARASOFA@HOTMAIL.COM

    • Obrigada pelo comentário… 35 dias é muito pouco e muita coisa boa ainda vai acontecer!!!
      Fique tranquila que o tempo é nosso amigo!!

  10. Oi estava procurando algo sobre diabete e descobri o seu blog achei legal pois, tenho uma filha de 09 anos que descobrir a 01 mês que tem dibete tipo 01 confesson que esta sendo um pouco dificil para mim e para a família, descobrimos por acaso após o carnaval fomos no hospital por que ela estava se sentido mal e quando foi feito o exame de glicose ela estava com 682,72 ficou internada durante 07 dias para controlar a tx, o médico me disse que veio através de uma infecção de garganta que ela teve uma semana antes, confesso que as vezes choro, eu acho que pra mim esta sendo um pouco difícil tento não chorar na frente dela para parecer forte e digo que vai ficar tudo bem, ela mesma já mede a tx dela e se aplica insulina(NPH e HUMALOG) graças a Deus ela esta na fase de lua de mel até quando não sei espero que dure para sempre.
    Bjos

    • Seja bem vindo a esse mundo doce porém cheio de fortes emoções!!
      De onde vcs são?

      Me adicione no Facebook, tem um grupo mto legal de bate papo sobre diabetes cheio de mães como nós!
      O perfil é Minha Filha Diabetica Sp

      Um beijo!

      • Nós somos de Belém/PA.

        Emoções doces porém amargas.
        Estamos com um endocrino ótimo, que está procurando nos orientar por etapas por que são tantas informações. eu achei que não ia conseguir aguentar mas temos que ser forte para poder dar força para nossa filha.

        Vou add voces.

  11. Oi Nicole Boa Tarde!

    Bom…. sou Priscila mãe do João Pedro portador de diabetes 1 maio 2010 com 2 anos e 8 meses( Diagnostico ) 1 anos de Diabestes!!!
    Sempre entro no seu blog p dá uma olhadinha rs.
    Hoje resolvi escrever para parabeniza-la pelo trabalho do seu blog.
    Sua filha esta de parabens e vc tbm coragem,desafios,tranquilidades de vcs!!!
    Eu e meu Bbê jah passamos tdo e mas um pouco por causa da diabetes ( Medo, Choro,gritos, Internação,UTI, Varias Hipo e Hiper,Coração Acelerado ,Confusão Mental e Perda da consciência por causa Hipo, Tremores por causa da Hipo, em fim o pior de Tudo quase morri do coração ele entrou em consulsão…….. Eu so pedia para Deus me levar, para nunca mas vê aquela cena.
    Bom… Hoje com um ano de doença estou bem mas tranquila e ele tbm,graças a Deus.
    Levamos uma vida normal, mas com um pé atras rsrs
    Gostaria mto mto de colocar a bomba nele, acho q vai melhora 80% do meu medo longe dele, por exemplo deppois do diagnostico não deixei ele ir para a excução de escola e qualquer outro passeio sempre eu estou junto com ele fico com medo de acontecer algo sem eu esta do lado dele.
    Por isso eu acho q a bomba seria legal. A Vivi esta usando ??? Melhorou?? oq vc acha da bomba p dormir,brincar,correr, nadar ect….. como esta sendo o dia dia da Vivi com a Bomba???

    Fica c Deus
    Bjos

    Priscila Oliveira
    Santo Amaro- SP
    priscila.o.francisco@uol.com.br
    priacausadora@hotmail.com me add para conversamos mas!

  12. haaa….. Ele faz uso de insulina Levemir 13 unidades de manha e 3 a noite.
    Novarapid ( Depende do valor q está ).
    Eu e a Novarapid nós se estranha as vezes rsrs
    as vezes a glicose do meu filho esta 450 aplico 2 und em 1 h e 30 abaixa mto
    a glicose cai p 38,40,45 aff
    Eu acho mto complicado usar a novarapid, 1 ind não faz efeito e 2,3 ja faz mto…….Mto Dificil.

    Bjos

  13. Olá, Nicole e a todos que lerem isso aqui!
    Parabéns pela sua iniciativa, pelas suas colocações e pelos cuidados que tem com a sua filha.
    Um dia desses ouvi a seguinte frase: “a diabetes não é um sofrimento para o filho, e sim sofrimento e – mais que tudo – ensinamento para os pais”. Fiquei analisando sobre ela e no final tive que concordar, pois me lembrando de minha infância, não tive nenhum trauma. Mas tenho certeza que meus pais lembram de cada “perrengue” que passaram comigo, de cada cuidado que tiveram que ter, em um tempo em que a monitorização era feita normalmente com fitinhas para verificar a glicosúria, em vez de vários testes diários de verificação de glicemia no sangue. Assim, digo que todos os pais de diabéticos merecem medalhas de ouro, pois são indiscutivelmente grandes vencedores!!
    E aí eu cresci! E como era de se esperar, bastante saudável e feliz!
    Hoje tenho 32 anos e 24 de diabetes. E casada, me preparo para engravidar.
    Acho que estou na melhor fase do meu tratamento, com uma glicohemoglobina abaixo dos 7% (atualmente está 6,3%) há mais de um ano!
    Mas não é fácil, exige comprometimento e responsabilidade. O que sei é que o resultado vale a pena!
    Sei também que muitos médicos se desesperam ao verem resultados de exames com glicohemoglobina de mais de 8%. Já tive resultados assim por algum tempo (imagina então quando eu não tinha nem a possibilidade de medir a glicemia, com valores exatos, por 5 a 6 vezes ao dia!) e continuo saudável. Mas com planos de construir uma família, eu precisei cuidar ainda mais de mim e aumentei inclusive a quantidade de exercícios, o que ajudou ainda mais no controle. Bom, isso foi o mais fácil, já que decidi só fazer o que realmente gosto, em vez de ficar comprando planos de academias! Hehehehe…
    Mas o que posso dizer a qualquer pessoa é que se cuidar vale a pena: ir com frequência a todos os médicos necessários, fazer exames, cuidar da alimentação, fazer atividade física e, é claro, cuidar do psicológico também!
    E desse jeito, viver sorrindo é muito mais fácil!!
    Um grande abraço,
    Babi

    • Oi Babi!! Seja bem vinda, espero que continue comentanto e comentando pq vc tem mto a nos acrescentar !!!!
      Uma coisa é a visão de mãe, e outra a do portador de diabetes que enxerga o outro lado da história.
      É muito bom saber sua opinião, continue escrevendo sempre!!!!

      Beijos e prazer em conhecer vc !!

  14. Olá Nicole,

    Me identifiquei muito com a forma que vc descobriu a DM em sua filha..Com minha filha Giovanna não foi muito diferente: Ela estava com 5 anos e 2 meses tb, apresentou todos os sintomas classicos , exceto formiga na privada – a não ser que eu não tenha reparado . Mas ela precisou ser encaminhada para a UTI onde ficou 5 dias e + 3 dias em quarto. Foi um trauma, uma situação triste e inesquecível. Aprendi se sopetão a cuidar dela ( é engraçado como conseguimos pegar o jeito com dextro, insulinas, hipos e hipers em tão pouco tempo ,não é? ) .. Não foi fácil, continua não sendo, faz menos de 4 meses que tudo começou porém optei por encarar com um sorriso na cara ,fé e esperança. Ensino à Gigi o quanto ela deve cuidar do seu corpo ,reconhecer sintomas e tem sido razoavelmente fácil até hoje. Os médicos dizem que ela está na lua de mel, que logo virá a realidade…Paciência, eu preciso de óculos, não vivo sem eles .. Minha filha precisa de insulina, não vive sem ela.. Tenho hipoglicemia reativa, terei até o fim da minha vida ,mas meu [unico remédio é comer de 3 em 3 h. Ela pensa que por isso tenho diabetes também, aproveito e mostro o quanto temos que nos cuidar.
    Enfim, vamos tocar a vida felizes ,pois assim elas crescerão – confiantes e se respeitando..
    Parabéns pelo blog, é muito interessante!
    Beijos

  15. Olá, Nicole!
    Descobrimos a diabetes do Andrei, meu filho, em junho do ano passado, ele então com 6 anos. Li alguns posts do seu blog, e é bom partilhar com outros os mesmos sentimentos – preocupação 24 horas por dia, contagem de carboidrato correta (ainda estou tentando achar a base pra correção…), passeios da escola, atividade física, hipoglicemias, viagens… Ele lida muito bem com tudo, eu que às vezes acho que vou ter um treco. Sempre falo que ele nasceu preparado, mas pra mãe é teste cardíaco! Como vc diz, socorre na hora e desmaia depois… Na semana passada ele teve duas hipos como nunca teve – 33 na 5a feira e 13 (!) na 6a. Chorei horrores… Será que essa medição de 13 mg/dl estava correta?! Não sei… Só sei que agora morro de medo de aplicar a rápida e estou muito mais preocupada do que no mês passado. Acho que mais uns 40 anos e me acostumo…
    Bjo!

    • Cintia.. talvez seja esse começo até descobrir a dose certa pra correção.
      Acho 13 mto baixo, ele passou mal???
      Uma vez deu 12 na Vivi, ela tinha acabado de lavar a mão.
      Sequei com secador, medi de novo e deu 120 !!!
      Fique tranquila….vai ficando mais fácil

  16. Oi, Nicole! seu blog me deixou bastante emocionada! chorei mto cm o video da vivi, pq tem 3 dias q eu estava aplicando a insulina na minha filha e ela me disse:”mamãe amanhã eu ñ vou mas tomar né?” Ñ tive resposta!
    Meu nome é Renata, moro em Santo Amaro da Purificação BA, tenho uma filha de 2anos, desconfiei q ela tinha diabétes quando ela tinha 1ano 6meses. No inicio ñ quis acreditar, até hoje sou assim, ñ consigo aceitar a doença. Me faço de forte mas por dentro estou toda estraçalhada. minha ficha caiu a 3 meses quando eu fui pegar a insulina, depois de mtos medicos, mtos exames, o diagnóstico que nenhuma mãe quer ouvir. achei q seria facil q cm o tempo eu ia tirar de letra. Mas a cada dia que passa tah ficando mto dificil. Minha pequena deu para comer escondido! está sentindo mta fome, e eu ñ toh conseguindo controlar. A glicemia ñ está baixando, ela está usando a NPH 2un manhã/noite estou achando a dose pouca. queria comparar a glicemia dela cm da Vivi. para saber se eh minha pouca experiência q está me deixando tão angustiada.
    bjos

  17. Olá Nicole, eu sou a mãe da Carolina, 11 anos, diagnosticada há exatos 9 dias com DM1. Li seu blog e gostei muito das considerações que você faz a respeito desta doença.Nem sei exatamente como me sinto, sei que já chorei muito, não pelo diagnóstico mas por quase ter perdido minha menina. Ela é asmática desde os 6 anos com as crises perfeitamente controladas. Acontece que desde janeiro a Carol vinha apresentando um quadro com características semelhantes a asma mas difíceis de controlar como de costume. Pensei que por ela estar entrando na puberdade deveria ajustar as doses da medicação ou fazer exames mais específicos, enfim, pensei, pensei e o tempo foi passando…. Na terça feira de carnaval, minha criança não estava nada bem. Fomos ao pronto socorro e ela passou 12 horas no soro, tomando aquelas medicações típicas dos asmáticos, predsim, aerolin, dramim (estava muito enjoada). Lembro que no domingo anterior ela tomou muito suco, uma coisa exagerada, tinha necessidade de tomar suco, acho que bebeu uns 4 litros. Na semana anterior, ela se queixava muito de dores de cabeça e dor de barriga. Pensei ate que estava acontecendo algo na escola pois não estava querendo ir. Continuando nosso calvário no pronto socorro, a noite a medica deu alta dizendo que ela teria que tomar antibiotico pois estava com bronquite asmatica. A noite dei a primeira dose de antibiotico e do anti alergico. Ela passou mal a noite toda, indo muitas vezes ao banheiro e com ânsia de vômito. Na quarta feira de cinzas ela amanheceu esquelética, uma coisa impressionante. Começou com uma dor nas costas subindo para o ombro direito e imediatamente levei-a a outro pronto socorro. Ela chegou gritando de dor e na cadeira de rodas pois mal conseguia andar. Novamente tomou medicação para o cansaço e buscopan para a dor nas costas e o medico passou o caso dela para o proximo plantao, sem que ela tivesse nenhuma melhora. Sei que as mães têm poderes pois assim que a médica chegou, esta força, este poder, Deus, não sei bem, fez com que eu pegasse o prontuario da Carol e num impulso invadisse a sala da medica para expor a situação da minha filha. A médica (um anjo da guarda) pediu para que eu trouxesse minha filha a ela e foi entao que ela, sem fazer nenhum exame, apenas olhando, me disse, maezinha, sua filha esta diabetica! Imediatamente ela fez um teste e deu 765, minha filha estava entrando em coma… Você pode avaliar o que senti nesta hora, sem duvidas, um trauma que ficara para o resto da minha vida. Foi transferida para a UTI, com cetoasidose, em estado gravissimo. Graças ao bom Deus, no 3o. dia de UTI o medico me disse que ela estava saindo do estado grave e iria para um apto, permanecendo mais 6 dias internada. Ainda estamos engatinhando nos testes, na aplicação da insulina, nos furamos, rimos, choramos, ela mais do que eu, imagino que já virando uma mocinha, tem inseguranças normais para a idade dela, sei que esta sendo uma barra tudo isto, sou divorciada, tenho outro filho com 15 anos, igual a sua outra menina, a Duda, não esta sabendo lidar com esta nova realidade. Esta com ciúmes da irmã, entendo, deve ser difícil para ele também. Fiquei muito aliviada com o seu depoimento sobre sua outra filha, me identifiquei com você. Também não forço a barra com ele, deixo as coisas acontecerem naturalmente, rezo que ele um dia possa ajudar a irmã a superar esta. A glicose da Carol ainda esta muito alta, varia de 233 a 356, hoje pela primeira vez foi a 82. Ficamos tão felizes, imagina ficar feliz assim… nunca imaginei. Estou aprendendo muito, ela também, valoriza cada grão de arroz integral que come, lambe o prato, alias esta comendo super bem, coisa que não fazia antes, morre de fome,as vezes chora, mas sei que vai superar esta fase inicial com a bondade e meiguice que sempre teve em seu coraçãozinho. Desculpe-me pelo longo depoimento, espero poder trocar experiências e sentir-me um pouco mais confortada com tantas mães que passaram e passam o mesmo que eu. Um beijo carinhoso para você e suas lindas filhas. Deus esteja sempre com vocês… Sou carioca mas vivo em Natal/RN há 23 anos.

    • Fiquei muito emocionada ao ler o seu depoimento e posso imaginar o que tenha sido.

      Realmente é difícil, é muita informação nova, muita coisa muda na vida. Mas com o tempo vc vai ver que todas essas mudanças só trarão coisas boas…

      Seu filho também vai entender e tudo vai se encaixar novamente.

      Seja bem vinda a esse mundo novo…

      A primeira semana depois da internação, os numeros costumam ser altos mesmo, mas vai abaixando, vc vai ver…

      Ela está usando qual insulina?

  18. Ainda nao sei bem como dizer os nomes, nem sabia ainda que elas tem marca. Bem, pela manha ela usa a NPH (14 unidades) e durante o dia a Humalog (4 unidades pela manha, 4 antes do almoço e 4 antes do jantar). Hoje ela foi a escola pela primeira vez depois de tudo…. estou um pouco ansiosa… Um beijo, Nicole… ótimo dia para vocês!

  19. Denise, somos Luiz e Natália. Pai e mãe de Ana Clara, 12 anos, diagnosticada no último dia 24 de fevereiro. Queremos manter contato com vc. Por ora, tenha força e fé. É difícil… mas,tudo irá melhorar, acredite. luizalves.internet@gmail.com

  20. OI Nicole gostaria de saber o que te fez mudar pra bomba de insulina?como era o tratamento antes?qual aparelho e insulinas a vivi usava?é pq minha filha Marcela de 4 anos tem diabetes a 7 meses e ate hj não acertamos com a insulina e ela usa Levemir e Humalog e o aparelho Accu-Chek Active.As taxas estão sempre acima de 200 ,e as vezes ate mais alta,me de dicas,please,ajude essa mamãe perdida!!!!!!!!!!!!!!!

  21. Nic entrei no seu blog hj e vi que estava de cara nova, gostei!!
    Me chamou a atenção a tag *NÒS*, abri e li, Nicole, Duda, Vivi e li tb todos os comentários..
    Tô que nem uma boba com lágrimas no rosto, me passou um flime na mente desses últimos 12 meses.. tantas mudanças, mas não posso dizer que foram mudanças amargas, mas sim doces..
    Desde o início levamos tudo tão bem, claro que teve a surpresa, a aceitação, alguns dias mais difíceis, mas nada foi tão intenso, parece que tinha que ser assim..
    Ontem mesmo no aniversarinho deles, teve um instante que olhei pro João correndo no campo. o Julio na cama elástica e pensei, dois meninos pequenos, ambos com história pra contar.. mas ao mesmo tempo tão grandes e fortes, e em nenhum momentos deixam de ser crianças felizes, agradeci tanto por isso, sei que parece bobagem minha, uma coisa, tão pequena, tão normal, tão corriqueira ver dois meninos brincando e se emocionar assim.
    Não acho eles diferente de ninguém, mas a sabedoria de vida de ambos me encanta, são crianças normais, um aplica insulina e mede glicemia e o outro tem uma pequena cicatriz nos lábios e a gengivinha com uma fissura, mas nem ligam, não se sentem excluídos e sim como parte de um todo.. isso me deixa muito a vontade e me dá força pra ir em frente e mostrar pros outros, que não existe diferença, que o preconceito está na cabeça das pessoas e na forma como encaram a vida.
    Nic nem sei pq tô escrevendo td isso.. coisas de mãe.. bem o que queria mesmo é deixar meus parabéns pela mãe linda que és e pelas filhas maravilhosas que tem!!

    • Ô Dona Silvia!!! Coisas boas não têm porquê nem hora pra escrever!
      Certamente vc ficou sensibilizada com o aniversário deles (Parabéns pros dois! Aproveitando) e fez uma retrospectiva muito saudável, por sinal!
      É bom mesmo ver que apesar de tudo que se passa na vida deles, eles conseguem tirar de letra e muito melhor que muito adulto super consciente.

      As outras pessoas é que estão fazendo tudo errado. Ter algo diferente faz parte do ser normal. Não temos que ser iguais! Não existe um ser humano na face da terra que seja igual ao outro. E é nas diferenças que nos fazemos tão especiais.

      Certeza que nossos filhos terão uma consciencia, não só corporal, mas humana também, afetiva e tudo mais, muito mais madura e evoluída que muita gente. E esse é o nosso papel aqui. Provover um ambiente saudável rpa que eles desenvolvam todo esse potencial… e modestia à parte, amiga… fazemos isso muito bem!

      Tem muita coisa ai, vindo pela frente, que teremos que enfrentar como fazemos com tudo que nos aparece agora e a vida é isso aí! Marasmo não faz ninguém crescer e amadurecer! São os desafios que fazem e esses, temos de sobra!

      Beijos pra vcs, que são uma família incrível e que eu me sinto muito orgulhosa de conhecer!!!

  22. Oi, Nicole
    Tenho conhecimento de causa, pois a minha filha de 12 anos, ficou diabética, foi um susto, pensei que não iria conseguir vencer esse mais esse capitulo da minha vida, mas vi que eu tinha que ser forte, pois ela agora estava precisando muito mais da mãe. Ela foi internada na UPA com a glicemia a quase 600, mas o impressionante que ela não sentia nada, só fraqueza, percebi que havia algo errado, porque ela estava comendo muito, e ficando a cada dia mais magra, sentindo muita sede, urinando muito e com muita sonolência, mas não se queixava de nada, perguntava, e ela respondia não mãe não tenho nada. Quando eu dizia que ela estava doente, ela ficava zangada. Ela toma Insulina 3 vezes ao dia (NPH e Regular).
    Mas confesso que não me acostumei acordo a noite e penso que é um pesadelo. Na verdade ela é minha do coração.

  23. Meu caso já é com adultos,minha mãe, muito magra por causa do diabetes,recusa-se a usar insulina,sua mente não aceita mesmo…estou em busca de uma dieta saudável p q ela ganhe peso…q seja realmente eficiente…nem mesmo com médicos nutricionistas consegui…se souberem de alguma dessas dietas, por favor me digam,boa sorte no tratamento com sua filha..bjsss

  24. Oi Nicole, não sou mãe, e não sou criança. Mas cada coisa que tu escreves aqui me dá uma luz e ver a Vittoria lidar com tudo isso me incentiva a continua tentando. Hoje tenho 20 anos, e sou diabética desde os 11. Não sei se por falta de conhecimento sobre a doença na época, ou por morar numa cidade menor onde as coisas demoram a chegar.. nunca tive muita informação sobre como cuidar da doença; como comentaste em um dos posts, ninguém nos fala que tem que tomar insulina na mesma hora, tem coisas que a gente descobre “na marra”. Descobri recém ano passado a contagem de carboidratos, ainda tento me acostumar a anotar tudo que como para contar quantas unidades tomar. Descobri no teu blog algo que eu nunca tinha me dado conta, que a insulina rápida não se toma só no almoço e na janta. Sem mais delongas, gostaria de agradecer pelas dicas que compartilhas e te perguntar, se a terapia realmente ajuda, e se o teste da bomba de insulina tu conseguiu pelo governo, ou foste tu que agendou e pagou. Meus médicos nunca me recomendaram a bomba, mas nenhum deles era familiarizado com ela, não sabiam nem os tipos que existiam para me auxiliar; me empolguei bastante vendo as facilidades que ela traz, mas também me assustei com a rotina que ela exige, ainda bastante confusa como tudo funciona.

    Muito obrigada. Tirei mais dúvidas lendo aqui do que em 9 anos de consultório médico.

    Att,
    Greta Paim

  25. oi meu nome é Maria Vitória sou de Itabaiana/Sergipe tenho 10 anos nasci em 24/03/2003 começei ater diabete tipo um no fim de outubro de 2008 gostaria muito de mi comunicar com você

  26. Oi tenho 8 anos e fui fazer um exame de glicemia e deu 100 aí a médica me passou uma dieta doida q passo até fome e em um mês com exercícios minha glicemia tava 83 mas a médica disse pra minha mãe que eu tenho predisposicao pra ter diabetes do tipo 1 minha mãe ta desesperada e eu também to com muito medo to muito triste, será que vou ter diabetes tipo 1 mesmo por favor me ajuda

  27. Olá Nicole , queria deixar aqui registrado a vc meu agradecimento , pois dia 103 após alguns dias minha filha de 3 anos urinando e bebendo muita agua li o seu blog e me tocou profundamente… Embora tivesse feito um exame na minha filha há apenas 20 dias me mostrando tudo normal, li seu blog e decidi leva la ao hospital . Ao realizarem a destro que deu HI , ficamos internada e no exame de sangue constatou que minha filha entrou no hospital com 700 … A medica me explicou a gravidade desse valor e me disse que se eu esperasse mais 3 dias seria tarde demais . E foi seu post que me abriu os olhos …Hoje estamos bem perdidos ela começou a tratar com insulina lenta LANTUS e insulina rápida Humalog tem 4 dias que ela não precisa tomar a insulina rápida…E está tendo umas taxa bem baixa , estamos diminuindo a dosagem da lenta , pois a medica acredita que ela esta na fase lua de mel…Obrigada Viu vc não sabe quanto foi importante para salvar avida da minha filha…Vivian

  28. preciso de ajuda, minha netinha hoje com 11 aninhos, foi diagnosticada com diabetes mellitus tipo 01, quando tinha 09 aninhos .minha vida desmoronou e do pai dela também. tirei todo o açúcar da minha vida, se ela não pode, eu também não quero. o pior de tudo é que sua glicemia está sempre muito alta. ás vezes mais de 200. o que fazer?
    acho sua alimentação um pouco temperada e ela toma é leite integral… muitas coisas acho que deveria ser diferente. acontece que sou avó e se falo algo, sou ultrapassada. procuro me distanciar para não sofrer tanto mas…. sofro loucamente, a distancia. acho que deveriam consultar opiniões de outros profissionais mas… me cortam e dizem que seu médico é um dos melhores. preciso de ajuda não posso me omitir na saúde da minha mais linda princesa.. agradeço e peço uma palavra de conforto. aguardo. muito grata

  29. Minha filha Isabela, de 8 anos foi diagnosticada portadora do DM1, em janeiro deste ano, passados mais de 7 meses estamos ainda na fase de adaptação, o que foi muito legal pra nós e ela foi levá-la na ADJ – Associação de Diabetes Juvenil em, São Paulo, deu uma clareada nas ideias, la ela constatou que tem várias crianças portadoras de diabetes o que deu até mais segurança a ela, uma vez que na escola somente ela tem diabetes e na família também ta sendo bem gratificante participar dos Grupos de Apoio.

  30. meu filho ficou ruim segunda sentindo dor no peito do lado esquerdo, dor de cabeça e depois começou dar dor de ouvido levei ele pro hospital ;ele não tinha comido nada pois não queria , quando cheguei la falei pro medico o que ele estava sentindo ,o medico pediu pra mim fazer la o destro e medir a pressão quando fez o destro deu 63 e a pressão 9 por 6 , e fez exame de urina e deu infequissão na urina .
    hoje de manhã no hospital ele fez o destro e estava 181 .
    Pois gostaria de saber qual é o normal para isto em uma criança de 8 anos; Eu tenho que de vez em quando fazer este teste nele pra saber

  31. Minha filha tbm esta com diabetes descobrimos dia 09/06/15 ela tbm tem 5anos as vezes me sinto perdida sem saber o que fazer….

  32. Descubro que meu filho de 4 anos e diabético, faço o uso de insulina 3X ao dia queria saber se posso aplicar nele dormindo.

  33. Meu filho de 20 anos há 4 com diabetes tipo I. Não tira txas as 5 q médico pedi, supõe q está alta e aplica, no momento estou no hospital. Pq ele achou q estava alta e aplicou 8 unidades, encontramos ele no quarto com 24 desacordado. Agora tá no hospital e achei VC, se puder mesmo sendo mais nova , me dizer algo……bj

  34. Oi nicole
    Minha filha tbm tem diabetes descobrimos não faz nem 1 ano… E como é difícil viu 😥 cheguei a te seguir no Instagram e no Facebook bjs suas filhas são lindas parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s