Minha Filha Diabética

Uma vida mais doce após o diabetes tipo 1!


1 comentário

Dentes permanentes mais cedo em crianças diabéticas !

Pois é…. Em Agosto, mês que a Vivi completou seis anos, 4 dentes caíram um atrás do outro. Fiquei preocupada pelo que sabemos sobre diabetes e gengivas e tudo mais. O dentista disse que e assim mesmo, pra eu não me preocupar….

Mas pelo visto não “é assim mesmo”. Algo diferente acontece com as crianças diabéticas. A Vittoria tem 6 anos e 4 meses e já trocou 8 dentes, 4 em cima e 4 embaixo. Foi a primeira de todos os colegas da escola da mesma idade a trocar tantos dentes !!!!

Fuçando, achei isso aqui.

As crianças diabéticas podem desenvolver os dentes permanentes mais cedo do que o normal, o que pode aumentar potencialmente o risco de problemas dentários, de acordo com resultados publicados no periódico médico Pediatrics.

Os pesquisadores verificaram que crianças diabéticas de 10 a 14 anos apresentaram tendência a desenvolver seus dentes permanentes mais cedo do que seus pares. O problema de tais “erupções” aceleradas dos dentes é a possibilidade de dentes mal alinhados ou “apinhados” – que, além dos efeitos estéticos ruins, poderia causar dificuldades para limpar os dentes e manter as gengivas saudáveis.

Ainda não foi esclarecido se essas crianças de fato têm mais problemas dentários, disse à Reuters Health o pesquisador líder, o Dr. Shantanu Lal, do Columbia University Medical Center, em Nova York. Ele e sua equipe estão terminando um estudo que responderá essa pergunta.

Por enquanto, afirmou Lal, os resultados ressaltam a importância do controle regular dos dentes das crianças portadoras de diabetes.

O estudo examinou crianças de 6 a 14 anos – 270 com diabetes, a maioria tipo 1, e 320 sem diabetes. Os pesquisadores perceberam que, entre crianças a partir de 10 anos, as diabéticas apresentavam mais probabilidade de ter dentes em um “estágio avançado de erupção”.

De acordo com a equipe de Lal, as razões para a erupção dentária mais rápida talvez estejam relacionadas com inflamação das gengivas, que apresentou maior em crianças diabéticas. A inflamação das gengivas pode diminuir a massa óssea que dá sustentação aos dentes, encurtando a distância de que os dentes em desenvolvimento precisam para irromper através das gengivas.


Por Amy Norton

NOVA YORK (Reuters Health) –

FONTE Pediatrics, maio de 2008″

http://crisete.bebeblog.com.br/14470/DENTES-PERMANENTES-EM-CRIAN-AS-DIAB-TICAS/

Publicidade


Deixe um comentário

Estrabismo X Diabetes

Uma coisa muito marcante que aconteceu com a Vivi pouco antes de diagnosticarmos o Diabetes, além dos sintomas básicos, foi o estrabismo.

De uma hora pra outra, seu olho esquerdo convergeu quase que completamente. Para pegar uma caneta, ou colher, ela precisava de 3 tentativas… as duas primeiras ela sempre pegava o ‘ar’, o ‘nada’  bem ao lado da caneta. Para enxergar melhor as coisas, ela fechava o olho esquerdo e também o coçava muito. ela chegada a se irritar ao precisar focar em algo e o olho simplesmente não deixava. Aí ela segurava o olhinho fechado com a mão e conseguia ver o que queria.

Pouco tempo depois de começar a fazer uso da insulina, o olho melhorou bastante. Fomos no oftalmo que não deu muita bola quando eu disse que achava que tinha sido pelo diabetes. O médico disse que com diabetes ou sem, ela desenvolveria. DUVIDO !!! Foi pedido um teste ortóptico depois de um mês usando o óculos que ele receitou. No teste, a médica disse que ela não tinha estrabismo. E foi confirmado que a alteração da glicemia por muito tempo, o açucar lá, livre, leve e solto, pode SIM ter causado fraqueza no músculo do olho.

Passou a usar tampão, às vezes pede o óculos por estar com dificuldade de enxergar, às vezes não usa por dizer que fica pior COM do que SEM o óculos.

Vai entender. O que eu percebo é que quando a glicemia está muito alta, o olho dá uma mudada… e pelo que a médica disse, isso vai ser sempre assim, por isso a necessidade de exercitar bem esses músculos oculares.