Minha Filha Diabética

Uma vida mais doce após o diabetes tipo 1!

“Hipoglicemias e seu cérebro”

4 Comentários

Tradução minha e do Google Tradutor, qualquer coisa, me grita! rs

Artigo: Low Blood Sugars & Your Brain

funzim-brain-640x42925Somos constantemente lembrados (e ameaçados) dos efeitos a longo prazo das taxas elevadas de açúcar no sangue, mas os efeitos a longo prazo das baixas taxas de açúcar no sangue sempre foram menos claras.

Nos últimos anos, as teorias sobre o impacto da hipoglicemia no bem-estar de nossos cérebros foram ganhando a maior preocupação, mas vários estudos têm oferecido mais um motivo para colocar esses medos para descansar.

As preocupações iniciais eram de que repetidos eventos hipoglicêmicos iriam prejudicar a função cognitiva com os anos, o que significa que o controle mais rígido das glicemias (o que aumenta o risco e a probabilidade de hipoglicemia) pode potencialmente causar danos ao cérebro, apesar de beneficiar terminações nervosas e órgãos geralmente prejudicados pelas hiperglicemias.

Vários estudos não conseguiram encontrar quaisquer dados conclusivos que sustentassem esta preocupação:

Este estudo de 2010 conclui:

“Hipoglicemia recorrente (RH), o efeito colateral mais comum de terapia intensiva de insulina para diabetes, está bem estabelecido para diminuir respostas contrarregulatórias para mais hipoglicemia. No entanto, apesar da preocupação significativa do paciente, o impacto das hipoglicemias recorrentes sobre a função cognitiva e neural permanece controverso. Aqui nós revemos tanto os dados de estudos em humanos quanto os estudos recentes em animais sobre o impacto de RH nos processos cognitivo, metabólico e neural. No geral, RH parece provocar adaptações cerebrais que podem melhorar o desempenho cognitivo e fornecimento de combustível quando euglicêmico (com glicemias dentro da faixa entendida como normal) mas que representam ameaças significativas durante futuros episódios de hipoglicemia. “

Em outras palavras: a hipoglicemia recorrente mostrou, na verdade, melhorar a capacidade do corpo de funcionar durante futuros eventos hipoglicêmicos – o que significa, infelizmente, que a pessoa fica cada vez menos consciente, devido a uma ausência de sintomas normais, de que ela está com hipoglicemia..

Mais recentemente, como relatado em A Sweet Life”, o Dr. Alan M. Jacobson conhecido por ser um dos principais especialistas “sobre a relação entre o diabetes e a função cognitiva” e diretor do “Diabetes, Obesity and Cardiometabolic Research Center at Winthrop-University Hospital“-não encontrou nenhuma ligação entre a função cerebral prejudicada a longo prazo e baixa taxa de açúcar no sangue.

Dr. Jacobson, que liderou o estudo de longo prazo sobre a saúde cognitiva e hipoglicemia, explica, “Nós estudamos isso atentamente e o que encontramos foi que a hipoglicemia não pareceu ser um risco adicional para a função cerebral reduzida.”

Este trecho do relatório de A Sweet Life explica as conclusões do estudo:

Como parte de uma equipe de Jacobson estudou os efeitos de um melhor controle de açúcar no sangue em pacientes diabéticos tipo 1 que eram participantes do Controle e Complicações Trial-ou DCCT Diabetes. O DCCT rastreou 1.441 pacientes diabéticos tipo 1 com idades de 13 – 39 por seis anos para determinar se glicemias mais  perto do normal, (valores de não-diabéticos) ajudam a evitar complicações de diabetes, como retinopatia e doenças renais.

O estudo demonstrou definitivamente que um melhor controle de açúcar no sangue leva a uma redução na incidência de complicações diabéticas. Ele também revelou outra coisa.

Jacobson também concluiu que o controle de açúcar no sangue mais rigoroso, de fato, aumenta o risco de hipoglicemia, particularmente hipoglicemia grave, mas, novamente, o cérebro não é prejudicado.

“A Sweet Life” também compartilhou os resultados de um um estudo de 1999 publicado no Journal of Cerebral Blood Flow and Metabolism , que afirma: “Felizmente, a lesão cerebral por hipoglicemia ocorre com pouca frequência nos seres humanos.”

Será que isso significa que você deve suportar maiores taxas de hipoglicemia em troca de baixo açúcar no sangue, porque não é prejudicial para o cérebro? Esta é verdadeiramente uma discussão para você e seu médico.

Os níveis de cada um de nós procura no nosso controle de glicose no sangue é realmente uma escolha pessoal, baseada em uma série de variáveis​​. Sim, nós todos nos beneficiamos com um controle mais rigoroso de açúcar no sangue, mas para alguns a segurança de ter a taxa de açúcar no sangue um pouco mais elevada pode ser mais benéfico do que taxas muito justas, particularmente, por exemplo, para alguém que vive sozinho e não sente os sintomas da hipoglicemia cedo o suficiente.

Independentemente disso, é maravilhoso saber que aqueles que gostam de ter taxas de açucar no sangue mais justas, não estão se colocando em risco de danos a longo prazo, em um esforço para evitar o dano a longo prazo de níveis mais elevados de açúcar no sangue!

Anúncios

4 pensamentos sobre ““Hipoglicemias e seu cérebro”

  1. Nossa! Que alívio! Não deixando de lado as preocupações com a hipoglicemia, é muito tranquilizante esse artigo, pra nós que estamos sempre entre a cruz e a espada… agora dá pra “relaxar” um pouquinho! E que venham mais notícias animadoras pra esses heróis e cuidadores!!!

  2. Gostei tanto de ler isso que tive que comentar Nicole!
    Já li mais de uma vez!!!
    Ufa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s