Minha Filha Diabética

Uma vida mais doce após o diabetes tipo 1!

Orgulho da mamãe e agradecimentos….

9 Comentários

Primeiro, quero agradecer os comentários de vocês. E dizer também que eu sinto não fazer nada além da minha obrigação de mãe e de ser humano preocupado com o futuro das crianças. Sei que tem gente por aí que não faz nada disso. Conheci uma mãe de diabético em Minas que simplesmente ignorou o diagnóstico do filho, não medicava e não cuidava da alimentação e de 15 em 15 dias ele era internado, cetoacidose, talvez? Eu nem quis saber pra não meter a mão na cara dessa mulher, concorda?! Isso pra mim é assassinato premeditado. É abandono de incapaz. Enfim… desempenho meu papel da melhor forma possível, sempre pensando em ter menos trabalho no futuro… por isso me preocupo tanto com a conscientização da Vittoria sobre o diabetes e a saúde e da Duda também, né !

Lí um comentário num blog de uma menina de 12 anos dizendo que a mãe vivia reclamando que ela era diabética e que não aguentava mais cuidar dela. Eu não julgo essa mãe. Eu acho que entendo o que ela sente apesar de não concordar com a forma que ela verbalizou. Nós temos uma ideia do que é cuidar de um diabético que tem condições de comprar remédios, insumos, pagar consultas particulares ou um convênio. Agora não tenho a menor noção do que seja ser diabético em condições precárias de vida. Deve ser um saco mesmo, deve cansar, deve causar muita dor na família, raiva. Pensa?! Não vamos colocar a culpa só na mãe. Será que essa menina de 12 anos se cuida? Ela não é mais criança, certo?! Será que a mãe dela não disse isso num momento de exaustão em que a menina também não colaborou nem um pouco com os próprios cuidados? Acho que todos temos uma parcela de responsabilidade nessas situações. Por isso, tudo que as pessoas dizem, eu divido por 2 até ouvir o outro lado ou outroS ladoS da história.

E… ontem, fiquei muito orgulhosa da Vittoria e tive mais um pingo de certeza de que esse meu trabalho todo renderá frutos!! Estávamos num….. [bom, não quero entrar em detalhes porque tem religião envolvida no meio e esse é um assunto que não discuto. Enfim.. ] num lugar que nunca tínhamos ido, onde havia uma salinha pras crianças que estavam lá ficar sob os cuidados de um grupo enquanto os familiares estão…. ocupados. Eu não sabia nada. Não imaginei que eles serviam coisas pra comer. Vivi foi bem alimentada pois ficaríamos alí das 19h às 21h e eu tinha que me certificar de que… ela ficaria bem sem comer.

20.30 fui até a salinha aplicar a Levemir e a moça que abriu a porta disse: “Mamãe, que gracinha sua filha, quando fomos servir o lanchinho com suco, pão com requeijão e pão de mel, ela me contou que é diabética e que não pode comer essas coisas, principalmente porque já tinha jantado, e eu fiquei sem saber o que fazer pois nunca tivemos uma criança diabética. Que bom que ela me contou. Não comeu nada, viu mãe.” E eu abracei a Vittoria e perguntei se ela tinha ficado com vontade e ela disse que SIM, com muita vontade, e todos comeram menos ela. Então eu pedi pra moça embrulhar um pão de mel pra ela, que ao chegar em casa e medir a glicemia, ou mesmo antes de dormir, ela poderia comer o pão de mel com um pouco de leite. Ela ficou muito feliz. E eu também.

Chegamos em casa eu a abracei e disse que tinha ficado muito contente e orgulhosa com ela por ela ter feito o que ela fez. Que isso me deixava tranquila em deixá-la sozinha com outras pessoas porque ela já sabia tomar conta de si mesma, sabia o melhor pra ela. Ela me abraçou e disse que me amava.

Precisa mais?? O investimento tá dando certo. E ah… ela quis tomar insulina na frente das outras crianças. Ela não se envergonha de ser diabética e acha o máximo furar o dedo e tomar injeção sem chorar na frente de todo mundo, e ver as pessoas fazendo cara feia e a chamando de corajosa !!!!! Ela rí e diz, nem dói nada, não precisa fazer cara feia !!!!

Anúncios

9 pensamentos sobre “Orgulho da mamãe e agradecimentos….

  1. Seu post foi emocionante Nicole, parabéns pelo empenho! Vejo que está colhendo os frutos de tamanho amor e dedicação. Continue assim, está no caminho certo… e que isso sirva de exemplo!

  2. Q lindo Nicole. Fiquei emocionada!
    Tenho 26 anos e ainda tenho vergonha de aplicar insulina na frente de outras pessoas! Rsssss Quando estou com meus amigos, sinto-me mais à vontade, não tenho medo de mostrar o q sou. O q às vezes me chateia é qdo aqueles de desconhecem os procedimentos e a própria debilidade fazem comentários depreciativos. Mas felizmente há no mundo pessoas amorosas e amáveis que nos apóiam e nos dão forças além do normal por meio de seus comentários positivos e edificantes.
    As suas filhas são umas gracinhas! Certamente q vc já está colhendo os frutos do seu empenho, qdo por exemplo a sua filha recusou alimentos q seriam, no momento, inapropriados para ela. Olha, é preciso muita determinação e muita força de vontade pra dizer “NÃO”, em especial, por ser uma criança.
    Q lindo seu blog e q palabras motivadoras!
    Abraços,

    • ô Karin, obrigada!!!
      Espero que meus depoimentos ajudem as pessoas, esclareçam dúvidas, extermine preconceitos e o que eu mais espero mesmo, é que eles eduquem as pessoas em diabetes… acho que essa é a única saída pra todo dissabor que temos com a ‘doença’!

      Boa sorte e continue passeando por aqui!
      beijo

  3. Oi, Nicole, tb não julguei a mãe da Laura (esse é o nome da menina de 12 anos), a gente sabe que adolescência é uma fase conturbada. Os depoimentos mais desesperadores lá do blog geralmente estão nessa faixa etária. Ou pq se tornaram diabéticas nessa fase, ou porque se revoltam nessa fase, mesmo quando já são diabéticas desde crianças. Talvez por não terem tido todo o apoio que vc está dando para que a Vivi seja uma adolescente e uma mulher bem resolvida. Ah! Quando precisei usar insulina, tb aplicava em qualquer lugar, na frente de quem fosse. É legal que a Vivi não tenha vergonha. Ela é muito madura. Beijos.

    • Eu sei que você não julgou. Vou editar meu texto porque se ficou parecendo isso foi um engano. Só quis usar esse comentário como exemplo !!! Espero conseguir manter a cabecinha dela no lugar durante a adolescência !!! hahahaah

  4. Eu sou suspeita para falar, pq eu realmente acho que vc tem me ajudado bastante a entender as coisas, a perceber que sim, somos humanas e temos dúvidas, mas que principalmente, nossos filhos continuam sendo TUDO pra gente, e cabe a nós, mães e pais (quando presentes!!) fazer dessa nova vida, a melhor possível. E nada mais gratificante do que ver nosso trabalho reconhecido por palavras e atitudes desses anjos da guarda que eles são…ou vc duvida que Gui e Vivi são muito mais evoluidos do que a gente??? rsrsr
    BJos e vamos que vamos!

  5. Nicole,
    Me emocionei por que sei exatamente o que você sentiu, o Igor também não se envergonha e eu me senti assim quando fomos tirar fotos com o papai Noel do shopping para fazer cartões de Natal, qual ele lhe ofereceu um pirulito ele disse em alto e bom tom “Não obrigado, sou diabético” e quando precisa fazer medição na frente dos amigos ele avisa logo: “se você tem medo de sangue nem olha”
    É muito triste ver uma criança sofrendo, ontem eu assisti uma mãe levar uma bronca do medico, sempre que vou ao medico do SUS tem uma desse tipo, ontem era a mãe de um adolescente que se negava a aplica insulina e fazer o controle.
    Eu sempre fiz check up anual nos meus filhos, sempre no mes de maio, em 2009 por motivos profissionais adiei para as ferias de julho, no primeiro dia de ferias fomos surpreendidos pela cetoacidose, a principio me culpei, mas com o tempo percebi que diabetes tipo 1 não dá pra evitar, não dá pra prevê, o maximo que eu poderia ter evitado foi a crise de cetoacidose.
    MInha mãe sempre se emociona com as atitudes do Igor, outro dia ele disse assim: “Vó, você não pode morrer porque senão quem vai ajudar minha mãe a cuidar de mim, ela vai ficar muito cansada”
    Não tem como se se emocionar diante de palavras como essas.
    Parabéns Nicole, Como diz o Dr. Paulo(SUS), “Familia é tudo no controle do Diabetes”
    Pena que estamos tão longe, adoraria conhecer vocês.
    Beijos

    • Parabéns pra você também Sarah !!! É uma mãezona!!! E a gente tem essa mania infeliz de nos culparmos por tudo que acontece. Imagina eu, diabetes depois de 1 mês de separação… o todo mundo me dizendo que é emocional… ou seja, culpa minha… Hoje sei que não é, se por acaso for, paciência… fiz o que achei ser melhor pra todos e assumo as consequências !
      E família é tudo meeeeesmo…. na hora de ajudar e de atrapalhar! hahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s